A revolução cósmica de Copérnico

Nicolau Copernico - Heliocentrismo - Cosmopolita astronomia

Há cerca de 500 anos, revolucionámos a concepção humana do Universo.


A ideia de que o Sol girava à volta da Terra foi ponto assente durante toda a Idade Média, em grande parte, devido a supremacia da religião cristã. Foi Nicolau Copérnico, um polaco astrónomo e matemático, que mudou para sempre a nossa perspectiva cósmica.

Quem era Copérnico?

Nicolau Copérnico foi um clérigo da era renascentista, grande investigador e ávido estudioso, que exerceu medicina e astronomia, sendo também reconhecido pelos seus dotes matemáticos. Apesar da sua reputação, o seu trabalho mais importante foi mantido em sigilo por toda a sua vida.


Criado por um influente bispo, e depois de estudar em 4 universidades, foi no castelo de Watzenrode que Copérnico iniciou a sua investigação astral.


copernico heliocentrismo astronomia cosmopolita

Fig. 1 - "O trabalho da sua vida", pintura do séc. XX de Copérnico por Jean-Léon Huens, a pedido da National Geographic Society.



A teoria heliocêntrica

Como cientista e estudioso, Copérnico tinha conhecimento do trabalho do geocentrista Ptolomeu, mas deverá ter-se dado conta da semelhança dos períodos de rotação de alguns planetas ao período de rotação da Terra em torno do Sol.

Os seus estudos levaram-no ainda a cruzar-se com trabalhos de Erastóstenes e, indirectamente, com as ideias de Aristarco.

Estas constatações levaram-nos a iniciar uma investigação controversa para a época.


O primeiro heliocentrista

A premissa de que a Terra gira em torno do Sol foi registada, pela primeira vez na história, pelo grego Aristarco. Contudo, Copérnico pouco tem a dever a este colega, dado que as ideias heliocêntricas de Aristarco foram esquecidas no tempo e apenas re-publicadas um ano após a morte de Copérnico.


Ainda assim, Copérnico cruzou-se com algumas escassas referências indirectas a este astrónomo e faz menção a algumas das suas ideias originais. Tivesse ele tido oportunidade de estudar a fundo a ciência de Aristarco, certamente teria feito redobradas referências às suas investigações, dado que ele necessitava de todo o apoio possível para fundamentar a sua teoria revolucionária.



Uma publicação proibida

Livro Nicolau Copérnico

Fig. 2 - “Acerca das revoluções de esferas celestiais”, por Nicolau Copérnico


Copérnico decide estudar os movimentos celestiais e consegue encontrar provas matemáticas para a centralidade do Sol em relação à Terra. Em 1543, no auge do Renascentismo, é lançada a primeira versão de De revolutionibus orbium coelestium (“Acerca das revoluções de esferas celestiais”).

Este livro concebe o modelo Heliocêntrico, que defende a movimentação da Terra em redor do Sol, e vem explicar:

  • O movimento retrógrado dos planetas (aparente e momentânea “viagem” dos planetas na direcção oposta aos outros corpo dentro do seu sistema);

  • A existência de estações do ano;

  • A órbita dos restantes planetas em torno do Sol.


Consciente da controvérsia do seu trabalho, Copérnico levou cerca de 20 anos a decidir publicar este livro, e julga-se que essa decisão apenas foi tomada por influência e pressão do seu colega luterano Rheticus. O livro acaba por ser lançado após a morte de Copérnico.


A publicação só foi autorizada pela igreja católica devido à existência de uma nota deixada por Rheticus nas páginas finais, onde se lê que o livro apenas reúne teorias matemáticas com o único propósito de complementar outras teorias científicas, e nunca suplementar a “verdade”. Ainda assim, o livro foi banido em 1616.

“Estou ciente de que as ideias de um filósofo não estão sujeitas ao julgamento de pessoas comuns, porque a sua demanda é buscar a verdade em todas as coisas, na extensão permitida à razão humana por Deus. No entanto, considero que visões completamente erradas devem ser evitadas.” - Nicolaus Copernicus

Sucessores: Kepler e Galileo

Uma vez que já estávamos no século da invenção da imprensa, o seu trabalho foi repetido com facilidade e rapidamente chegou às mãos de cientistas europeus. O heliocentrismo foi cimentado pelo alemão Johannes Kepler, que, debruçado sobre dados astronómicos recolhidos por Tacho Brahe ao longo de décadas, abandonou a ideia de órbitas circulares (os famosos "epiciclos" de Ptolomeu) e construiu um modelo centrado no Sol.


Galileo é também um sucessor histórico de Copérnico, e o primeiro a apresentar factos contundentes sobre o heliocentrismo nos bancos de réu frente à Inquisição!

Uma nova cosmovisão

Estátua de Copérnico em Varsóvia, Polónia

Fig. 3 - Estátua de Copérnico, em Varsóvia, Polónia


O trabalho de Copérnico veio revolucionar a forma como o Homem - e todos os seres vivos - se posicionam perante o Universo.

As primeiras evidências do Heliocentrismo provocaram avanços históricos no campo da astronomia, mas a verdadeira revolução deste trabalho foi de carácter cultural e religioso. Os Homens deixariam de ser vistos como o pináculo central de uma criação divina, mas sim como uma parte integrante de um todo rochoso que gira em redor de um astro.

Não fosse pela coragem tida por alguns cientistas de questionar a doutrina católica, talvez ainda hoje pensássemos que seríamos o centro do mundo! E estaríamos tão enganados…


“You say you want a revolution

Well, you know

We all want to change the world

You tell me that it's evolution

Well, you know

We all want to change the world…”



Imagens:



Fontes web:


35 views0 comments

Recent Posts

See All